"Mas agradeçamos a Deus, que nos dá a vitória por meio do nosso Senhor Jesus Cristo. I Co 15.57"

Dormir em paz


Como você tem dormido? Bem, mal, tranqüilo, agitado? Porque?
Quando algo não dá certo ou fazemos algo de errado,  quando estamos preocupados, doentes, tristes, ansiosos, angustiados, então, dormimos mal. Quando não temos recurso para o nosso problema, ou não encontramos alguém que seja AUTOR da solução, dormimos mal.
Pedro, em seu segundo sermão de Páscoa (Atos 3.11-26) escreve: “Jesus é o Autor da Vida”. É uma expressão ímpar. O AUTOR do sono tranquilo, poderíamos dizer.
Davi escreve (Salmo 4): “Em paz me deito e logo pego no sono, porque, SENHOR, só tu me fazes repousar seguro.” A história de Davi nos mostra um homem que, primeiramente, dormia bem, enrolado em seus pecados; depois dormiu mal, derramando lágrimas sobre o travesseiro; e, finalmente, pode dormir em paz, acalentado pela misericórdia de Deus.
O apóstolo Pedro, com seu sermão pascal, deve ter tirado o sono de muita gente, e por outro lado proveu o necessário para que muitos pudessem voltar a deitar em paz, e logo pegar no sono, sabendo quem os pode fazer repousar seguros.
Na parte inicial, Pedro faz uma acusação: ‘Vocês mataram Jesus.’  Denúncia contra aqueles que aparentemente dormiam bem.  Aqui aprendemos que simplesmente deitar e dormir não é sinal de que está tudo bem. Antes de poder dormir em paz é necessário, quem sabe, ficar acordado algumas noites, derramando lágrimas no travesseiro – reconhecendo e confessando o seu pecado. (Salmo 4.4)
Pedro prega a lei dura. Chama ao arrependimento. Pedro prega o sermão que ele viveu na carne. [Como foi o sono de Pedro? Ele negou Jesus, derramou lágrimas sobre o travesseiro, arrependeu-se, converteu-se e confiou na misericórdia de Jesus. Agora, certo do perdão, serve a Jesus com fidelidade, alegria, coragem. Dorme em paz.] Como você tem dormido?
“Vós matastes o AUTOR da Vida” – A acusação é contra o Sinédrio, Pilatos, Pedro, eu, você.  Nós o matamos com nosso pecado, por ignorância, para que se cumprisse a Escritura, segundo a sabedoria de Deus que revela: “Eis o cordeiro de Deus que tira o pecado do mundo”; (João 1.29) “Sem derramamento de sangue não há remissão”; (Hebreus 9.22) Ninguém a tira de mim; pelo contrário, eu espontaneamente a dou. Tenho autoridade para a entregar e também para reavê-la. Este mandato recebi de meu Pai”. (João 10.18) .
Nós o MATAMOS! Se alguém ainda dorme tranqüilo, fazendo pouco caso da gravidade do seu pecado, ouça: “Se dissermos que não temos pecado, a verdade não está em nós” – e sem a VERDADE em nós, Jesus, morremos sufocados pelo desespero e angustia, ainda que durmamos tranqüilos enrolados nas filosofias religiosas humanas.
Nós o matamos, Mas Deus o RESSUSCITOU! “Meu Jesus ressuscitou! Sua vitória vem mostrar que Deus Pai tudo aprovou o que fez em meu lugar. Nele tenho paz, perdão e perfeita salvação.” (Hinário Luterano 103.2) 
Se alguém ainda dorme angustiado por causa do seu pecado, reconhecendo a gravidade do seu pecado, ouça: Jesus ressuscitou! Ele vive, e está com você. Ele oferece o perdão completo e a vida plena. “Não seja incrédulo, mas crente!” (João 20.17)
O Autor da Vida diz, através de Pedro: “Arrependei-vos, pois, e convertei-vos para serem cancelados os vossos pecados, a fim de que, da presença do Senhor, venham tempos de refrigério.” Tempos de repousar em paz.
Interessante observar que isto não significa dizer que o cristão não tenha momentos de se revolver na cama... o detalhe é: ‘O SENHOR faz repousar tranqüilo’. Sempre de novo consola, afaga, alenta, garante sua presença amorosa, misericordiosa e compassiva ao seu filho amado. (1 João 3)  
EM PAZ ME DEITO, certo de que o despertar será para exclamar: Este é o dia que o SENHOR fez; regozijemo-nos e alegremo-nos nele. Sl 118.4
Seja mais um dia de trabalho ou o Grande dia de olhar no rosto de Jesus – face a face. O dia em que o próprio Deus vai enxugar definitivamente todas as lágrimas que derramamos em nossas consultas ao travesseiro. Assim como Deus enxuga as lágrimas do nosso rosto no dia a dia do nosso viver.
Só tu, SENHOR, me fazes repousar seguro, na cama, no túmulo, no lar eterno. Amém. Duma em paz, com Jesus!
 Pastor Jonas

Congresso Distrital de Servas -DH - 2012

Neste ano de 2012 (29/04), o Congresso Distrital de Servas - Distrito Hortênsias - aconteceu em Canela. Cerca de 230 pessoas participaram. Foi um dia de muitas bênçãos.
A programação foi a seguinte: 

Tema - Rute: Alguma mensagem para nós hoje?
08:30 - Abertura do Congresso (entrada dos estandartes e saudação)
08:35 – Culto (Projetado) – Tema: “Dependo de ti!”- pr. Jonas Naor Glienke
09:20 – Saudações diversas e comunicados
09:30 – Intervalo
  Inscrições (encaminhadas por um representante por departamento)
09:50 – Momento de louvor
10h – Palestra - Parte I - Rute: Alguma mensagem para nós hoje? Pr. Acir Raymann
10:50 – Momento de louvor
11h – Palestra - Parte II - Rute: Alguma mensagem para nós hoje? Sra. Beatiz Raymann
11:50 – Leitura e aprovação da ata - parte da manhã (as delegadas convocadas)
12h – Almoço
13:30 – Momento de louvor
13:45 – Momento diferente
14h – Representante da LSLB / Região Sul
14:30 – Plenária
16h30 – Chá de Confraternização



Nossa gratidão a todos que se empenharam para a realização deste congresso edificante.
Veja fotos em: https://picasaweb.google.com/107816929161147700451/36CongressoDaLSLB

Qual é a música?


Quem de nós não gosta de música? Executamos e ouvimos música ao vivo, pelo rádio, pela televisão, celulares, computadores. A maneira não importa. Importa ouvir música.
Quanto ao estilo, cada um tem sua preferência. O ritmo, a princípio, não é determinante. Determinante é o conteúdo, a letra. [contudo, sabemos que a cadência age sobre nossos pensamentos e ações].
Passaram-se doze dias do tempo em que ouvimos e, quem sabe, cantamos: “Coelhinho da Páscoa o que trazes pra mim?...” Mas também tempo em que ouvimos e, quem sabe, cantamos: “Cristo, o Senhor, eis ressuscitou, já sobre a tumba o Rei triunfou! Dando a sua vida em nosso favor, não mais tememos morte nem dor.”
Tendo estas melodias e letras em mente, vou andando pelas ruas de nossa cidade. Os enfeites foram recolhidos. Precisamos esperar quase um ano para que voltem a ornamentar nossas ruas, e a tonalidade do “Coelhinho da Páscoa” seja dada pelo diapasão do turismo, do comércio, do ‘curtir o feriadão’.
Mas continuamos a caminhada. E no calendário litúrgico da igreja o ministrante continua dando o tom da música: “Cristo, o Senhor, eis ressuscitou.” E, firmados na esperança da Páscoa de Jesus, o povo responde em coro: “Glórias cantemos ao nosso bom Deus, salva da morte e pecados os seus. Culpa abolida – Aleluia! Cristo dá vida, Aleluia!”
Para os seguidores do Jesus vivo, ressurreto – levantado da morte em carne e osso (Lucas 24.39) - a Páscoa perpassa o ano todo. A igreja de Jesus, pós-ressurreição,  inicialmente adota o domingo como dia de culto. A Páscoa é celebrada a cada primeiro dia da semana.
Até mesmo o período da Quaresma (40 dias antecedentes da Páscoa – ornados com reflexão e meditação em torno do sofrimento e morte de Jesus em nosso favor) é atravessado pelas melodias e letras da Páscoa a cada domingo. Assim sendo, o período da quaresma é de quarenta dias, sem contar os domingos, dias para soarem as melodias e letras da Páscoa.
A Páscoa de Jesus (conforme relato Bíblico) é determinante, decisiva na composição da peça musical chamada: “Nossa vida!”. O apóstolo Paulo é categórico. “Se Cristo não ressuscitou, é vã vossa fé, ainda permaneceis nos vossos pecados. E, se Cristo não foi ressuscitado, nós não temos nada para anunciar, e vocês não têm nada para crer... então nós somos as pessoas mais infelizes deste mundo.” (1 Coríntios 15.14, 17, 19) Neste caso, não há esperança.
Três dias após Jesus ser morto na cruz, os discípulos estavam trancados numa casa, com medo, cheios de dúvidas, tomados de tristezas, sendo esmagados pelo luto, desesperançados. (João 20)
Trancadas as portas da casa e da esperança. Nos nossos dias sabemos exatamente o que isto significa, qual a importância disso. 
Imagine que você precisa urgentemente abrir uma fechadura...  você pode ter mil chaves, se não tiver a correta, não abrirá. Claro que vai ter quem diga: ‘-Quebra tudo com ponta pé, ou chama alguém com técnicas que dispensem chaves para abrir.
Nós estamos presos ao pecado, à morte, à condenação eterna. As conseqüências disto estão estampadas no rosto daqueles discípulos, naquela casa, naquele dia [estampadas em nosso rosto]. Podem trazer mil chaves, nenhum delas verdadeiramente nos libertará. Ponta pé nenhum ou técnica humana nenhuma consegue nos libertar, abrir a porta que dá acesso a Deus.
Há uma só chave: Jesus Cristo - pela sua obra na cruz e tumba vazia - que abre a porta da reconciliação com Deus, que nos leva à vida. (Apocalipse 1.18) “Não seja incrédulo, mas crente!” (João 20.27)
Jesus ressuscitou!!! As trancas que nos prendiam à morte foram abertas. Estamos livres. “E conhecereis a verdade, e a verdade vos libertará. Se, pois, o Filho vos libertar, verdadeiramente sereis livres.” (João 8.32,36) A paz de Jesus esteja com você!
Atenção! Observem o tom. Cantemos: “Cristo, o Senhor, eis ressuscitou... Glórias cantemos ao nosso bom Deus...”
 Pastor Jonas 

Encontro de Casais - 2012/1

     No dia 27 de abril aconteceu o 1º Encontro de Casais deste ano.
     Foi um momento bem especial de convívio, de compartilhar experiências. O Estudo Bíblico teve como base o 6º mandamento - "Não adulterarás" - "No 6º mandamento Deus protege a pessoa [o 'bem'] mais precioso, mais chegado depois do próprio corpo - o cônjuge. A ênfase do 6º mandamento está no cuidado da relação homem x mulher. Casamento é a arte de amar em plenitude!"  
     O próximo encontro será no dia 22 de junho - Jantar Romântico, pelo dia dos namorados (12/06).
     Participe!
Veja fotos em: https://picasaweb.google.com/107816929161147700451/EncontroDeCasais03

Culto de Instalação do Pastor Carlos L. Bender

     Agora temos uma frente missionaria da IELB em São Francisco de Paula, apoiada pelo Distrito Hortênsias, Distrito Videiras, CEL Cristo Redentor, de Canela, e CEL Bom Jesus, de Bom Jesus.
     O pastor comissionado para a CEL São Pedro de SFP é o pr. Carlos Luís Bender.
     O culto de instalação foi no dia 15 de abril, às 18h. A istalação foi realizada pelo pastor Conselheiro DH, pr. Arnildo Schmitt
     Que Deus derrame suas ricas bênçãos sobre este trabalho.

Veja Fotoshttps://picasaweb.google.com/107816929161147700451/20120415

Celebração da Paixão de Jesus e sua Ressurreição

   
     Na semana santa, tivemos momentos bem especiais para voltarmos o coração e a mente para a obra redentora de Jesus, segundo revelado na Sagrada Escritura.(E durante todo o período de Quaresma tivemos os Cultos Quaresmais, todas as 4ªs feiras, às 20h. Momentos de estudo e reflexão conduzidos pelos pastores Johannes Gedradt e Rodolfo Kirchhein)


     Na 5ª feira santa, 19h; e 6ª feira santa, 8h30, Aconteceram os Cultos da Paixão de Cristo. O pregador foi o pr. Rodolfo Kirchhein, sob o tema: "A morte de Jesus e as muitas bênçãos!"
     No sábado, 19h; e no Domingo de Páscoa, 8h30; aconteceram os Cultos de Páscoa, CELEBRAÇÃO DA RESSURREIÇÃO DE JESUS. O pregador foi o pr. Acir Raymann, sob o tema: "Ressurreição, a reversão da vida."
    
     Foram momentos muito edificantes para o povo de Deus. À saída do culto de Páscoa, cada participante foi desafiado a levar a mensagem de perdão vida e salvação em Jesus para outras pessoas. Para auxílio, foi oferecido um livrete da Hora Luterana (http://www.horaluterana.org.br), Mensagens de Páscoa.


     Ao final do culto, foi lembrado de forma especial os 40 anos de casamento do pr. Acir e sra.Beatriz, completos exatamente neste dia 8 de abril. Foi um momento de surpresa, emoção e gratidão.


Veja fotos do culto emhttps://picasaweb.google.com/107816929161147700451/CultoDePascoa02

SAIR VIVO DA SEPULTURA


Amigo, você acha que vai sair vivo de sua sepultura?
Através de seu sofrimento e morte na cruz, Jesus pagou o preço da nossa salvação, do nosso perdão. Nos libertou de todos os pecados, da morte e do poder do diabo. É uma obra completa, pronta. Jesus mesmo exclamou Triunfantemente: “Está consumado!” (Jo 19.30).
A prova da validade desta obra salvadora diante do santo e justo Deus está no fato de, no domingo bem cedinho, Jesus sair vivo da sepultura em que foi depositado naquela sexta-feira.
O apóstolo Pedro, testemunha ocular da morte e ressurreição de Jesus, escreve:
“Escutem o que eu vou dizer. Deus mostrou a vocês que Jesus de Nazaré era um homem aprovado por ele. Pois, por meio de Jesus, Deus fez milagres, maravilhas e coisas extraordinárias no meio de vocês, como vocês sabem muito bem. Deus, por sua própria vontade e sabedoria, já havia resolvido que Jesus seria entregue nas mãos de vocês. E vocês mesmos o mataram por mãos de homens maus, que o crucificaram. Mas Deus ressuscitou Jesus, livrando-o do poder da morte, porque não era possível que a morte o dominasse... Deus ressuscitou este Jesus, e todos nós somos testemunhas disso. Todo o povo de Israel deve ficar bem certo de que este Jesus que vocês crucificaram é aquele que Deus tornou Senhor e Messias.” (Atos 2.22-24, 32, 36)
‘Todos nós somos testemunhas da ressurreição’, diz o apóstolo Pedro. O fato de Jesus realmente ter saído vivo da sepultura está comprovado historicamente, tanto por amigos quanto por inimigos. (Do contrário, os inimigos podiam logo recorrer à sepultura para provar a não ressurreição.)
As palavras do anjo anunciaram os fatos às mulheres que foram cedo ao túmulo naquele domingo de Páscoa: “Ele, porém, lhes disse: Não vos atemorizeis; buscais a Jesus, o Nazareno, que foi crucificado; ele ressuscitou, não está mais aqui; vede o lugar onde o tinham posto.” (Marcos 16.6)
Jesus ressuscitou. Seu corpo, morto por nós na cruz, voltou a viver, em glória. Jesus mesmo afirma: “apalpai-me e verificai, porque um espírito não tem carne nem ossos, como vedes que eu tenho.” (Lucas  24.39)
Amigo. Se Jesus Cristo não tivesse ressuscitado, mas permanecido na sepultura, então a morte teria sido mais poderosa do que Cristo. Neste caso, o nosso escrito de dívida contra Deus [pecado] não teria sido cravado na cruz. Deus não teria aceito a obra de Jesus em nosso lugar. O ‘Cordeiro de Deus’ não poderia tirar o pecado do mundo. (João 1.29)
Diz o apóstolo Paulo: “Se Cristo não ressuscitou, é vã a vossa fé [fé cristã] e ainda permaneceis em vossos pecados. Mas, de fato, Cristo ressuscitou dentre os mortos, sendo ele as primícias dos que dormem.” (1 Coríntios 15.17,20)
Ser cristão é crer na ressurreição. Assim como Cristo saiu vivo da sepultura, assim também nós sairemos. Querer falar de fé em Jesus sem crer na ressurreição é vão, nulo, não faz sentido.
Deus mesmo ressuscitou Jesus dentre os mortos. Assim Deus provou a todos que aceitou o sacrifício de seu Filho Jesus, estando plenamente satisfeito com esta obra salvadora. Todo o que crê nesta obra está reconciliado com Deus, recebe adoção de Filho de Deus, tornando-se herdeiro da vida eterna. (2 Co 5.18-21; Gl 4.5-7)
Muitas vezes, em seu ministério público, Jesus prometera vida eterna aos seus seguidores. Como isso seria possível se tudo acabasse na sepultura?  Um salvador que não tem poder para libertar a si mesmo da morte, também não pode ressuscitar a nós seres humanos do pó da morte.
Mas Jesus Cristo verdadeiramente saiu vivo da sepultura. Ele é um só Deus com o Pai e o Espírito Santo. É o Emanuel - Deus conosco. Ele venceu a morte em nosso lugar. Ele pode dizer: “Porque eu vivo, vós também vivereis.” (João 14.19)
Este é o mistério da obra de Jesus por nós – sua morte e ressurreição, por causa da qual somos salvos, pela fé.
Como Jesus mesmo disse: “Ninguém tira a vida de mim; pelo contrário, eu espontaneamente a dou. Tenho autoridade para a entregar e também para reavê-la. Este mandato recebi de meu Pai.” (João 10.18).
Oh! Como seríamos tristes e sem esperança, se Cristo teria permanecido na sepultura. Porém, podemos jubilar: Nosso Redentor vive! Com meus olhos verei a Deus! Feliz Páscoa, com Jesus vivo!
 Pastor Jonas

Confirmandos 2012


No Domingo de Ramos, 01 de abril, aconteceu a confirmação de 14 jovens. O tema do Culto foi  “Segui o Rei-Servo, Jesus, Libertador".

BRUNA CAROLINE PORT DE OLIVEIRA (Jeferson P. de Oliveria; Cláudia Rosane P. de Oliveria)
CRISTIANE GRALHA BARBOSA (João Maria Padilha Barbosa; Vera Lúcia Gralha Barbosa)
DANIEL DE ABREU MULLER (Antenor Muller; Maria Gorete A.Muller)
EMÍLIA ASSUNÇÃO GROSS (Jânio Clari Gross; Elizabete Assunção Gross)
FERNANDA TREIN (Fernando Trein; Eunice Galle)
KAUE DE SOUZA DA SILVA (Tiago Rodrigo Gomes da Silva; Micheli de A de Souza)
NATIELE ALVES DA SILVA (João Ercidio keller (+); Dulce Florena Keller)
PEDRO GROSS CASTILHOS (Alexandre de O. Castilhos; Ana Jaqueline Gross Castilhos)

IVAN STREY DE OLIVEIRA (Soli Martins de Oliveira; Vanessa Strey Chaulet)
TAMIRIS MARTINS FOGAÇA (Neri Paulo de Azevedo Fogaça; Margarete Martins Fogaça)
RENATA DANIELE CHAULET DE OLIVEIRA (Paulo Renato M. de Oliveira; Daniela Strey Chaulet)
RAFAEL DE ABREU MULLER (Antenor Muller; Maria Gorete A.Muller)
VITOR SABRIEL CHAULET de Oliveira (Soli Martins de Oliveira; Gabriela Strey Chaulet)
MELISSA PULSZ DA SILVA (Marcos Schweig da Silva; Suzana Pulsz da Silva)


“GUARDEMOS FIRME A CONFISSÃO DA ESPERANÇA, SEM VACILAR, POIS QUEM FEZ A PROMESSA É FIEL.” Hb 10.23