"Mas agradeçamos a Deus, que nos dá a vitória por meio do nosso Senhor Jesus Cristo. I Co 15.57"

FERIADO DE ASCENSÃO

     No feriado de Ascensão do Senhor Jesus, tivemos uma programação especial, dentro das comemorações dos 70 anos da CEL Cristo Redentor. Foi um momento de reflexão muito consolador e alentador. O tema foi: "Os tempos do FIM - Virá do modo como o vistes subir.", com prof. pr. Gerson Linden - diretor do Seminário Concórdia de São Leopoldo (onde são formados os pastores da IELB).
Veja fotos do encontro de estudo:

Culto de gratidão - Especial pelo dia das mães

     
     No sábado, dia 12, (19h) tivemos o nosso Culto de Gratidão - Especial pelo Dia das Mães.
     O tema do culto foi: “Vocês conhecem a palavra!” - Tudo o que disse para vocês é para que vocês sejam completamente felizes!
     Um grupo de jovens  e crianças, bem como o coro misto conduziram a parte musical do culto.
     Também foi muito bonita a homenagem (com teatro, canto e lembrancinha) das crianças e professoras da Escola Dominical para as mães. 
     Igualmente o departamento de leigos (grupo de homens) homenageou as mães com uma mensagem e uma bela lembrança.
     Para as mães deixamos estes dizeres: 
     Assim brilhe a tua luz diante das pessoas, para que vejam as tuas obras de amor e glorifiquem a nosso Pai que está nos céus. Mt 5.16
       Feliz a mãe que, como Ana, educa o seu filho para Deus e, desde cedo, leva-o à Casa do Senhor. Conforme 1 Samuel

Veja mais fotos em:

PERMANECER NO AMOR

De forma inédita, o Superior Tribunal de Justiça condenou um pai a pagar indenização por abandono afetivo. A filha, que ganhou a indenização no valor de R$ 200 mil, ingressou com ação por ter sofrido abandono material e afetivo durante a infância e adolescência, período em que os filhos mais precisam da presença dos pais. (http://www.odocumento.com.br/materia.php?id=392443)
Como nós reagimos frente a esta notícia, no advento de mais um dia das mães?
Alguém poderia dizer: ‘Amar é faculdade, cuidar é dever.’
O Bom Pastor Jesus, na busca das suas ovelhas e no seu relacionamento com as ovelhas, mostra que amar é exatamente a faculdade de cuidar. (João 10)
A Bíblia, palavra fiel de nosso Pai celeste, nos diz: “Foi assim que Deus mostrou o seu amor por nós: ele mandou o seu único Filho ao mundo para que pudéssemos ter vida por meio dele. E o amor é isto: não fomos nós que amamos a Deus, mas foi ele que nos amou e mandou o seu Filho para que, por meio dele, os nossos pecados fossem perdoados.” (1 Jo 4.9, 10 )
 “Vejam como é grande o amor do Pai por nós! O seu amor é tão grande, que somos chamados de filhos de Deus e somos, de fato, seus filhos.” (1 Jo 3.1)
Deus nos ama/cuida de tal maneira! ‘Deus mostrou o seu amor por nós: ele mandou o seu único Filho ao mundo’. Neste seu amor nos trata como seus queridos filhos - nos supre, alenta, conforta, protege, anima direciona, ou seja, NOS CUIDA em todas as necessidades - não por decreto, mas pelo mais puro amor.
Permanecei neste amor. Um amor que dá vida.
Permanecei neste amor. Um amor que dá os devidos frutos.
Deus nos conecta ao seu amor/cuidado para nos levar a uma vida frutífera de amor/cuidado para com o semelhante, (começando dentro no nosso lar, na relação pais e filhos, marido e esposa).
Permanecendo no amor de Jesus Cristo, não precisamos de um decreto frio, pois temos o seu amor/cuidado que nos impulsiona. (2 Co 5.14; 1 Jo 4.11-21)
Permanecer no amor. Tema da parábola da videira, que Jesus conta em João 15. Jesus diz: “Eu sou a videira, vós, os ramos. Já estais limpos pela palavra que vos tenho falado [fé no Evangelho]. Permanecei em mim, e eu permanecerei em vós. Como não pode o ramo produzir fruto de si mesmo, se não permanecer na videira; assim nem vós o podeis dar, se não permanecerdes em mim. Eu sou a videira, vós os ramos. Quem permanece em mim, e eu, nele, esse dá muito fruto; porque sem mim nada podeis fazer.”
Jesus almeja tornar claro a seus seguidores qual a relação que ele quer ter com eles. A finalidade é conseguir que cada ramo alcance os resultados mais frutíferos possíveis no amar/cuidar. Cada pessoa, uma vez implantado na vinha verdadeira, necessita manter íntima ligação com a videira.
Queridas mães, queridos pais, queridos filhos. É PRECISO PERMANECER NO AMOR/CUIDADO. Não há preço que pague isto.
Do contrário, resta alguma tentativa de justiça humana em exigir alguma indenização. Qual? Não se sabe. Porém nunca estará perto, às vezes extremamente longe, da maravilha que é amar/cuidar e ser amado/cuidado, conforme o Bom Pastor nos ensina pela maneira que ele nos ama/cuida.
O Pastor Jesus afirma: “Eu estou dizendo isso para que a minha alegria esteja em vocês, e a alegria de vocês seja completa.” (Jo 15.11)
Neste dia das mães, possamos dizer: Mamãe, parabéns pelo seu dia! Agradeço a Deus por você existir e me amar/cuidar assim. Permaneça sempre no amor de Jesus. Quero, mamãe, te amar/cuidar assim.
                                                                                                                                                     jnG

Tomando um café - Especial pelo dia das mães

          Aconteceu no dia 9 de maio, 19h30. Um encontro maravilhoso, agradável, de confraternização, reflexão, oração e um compartilhar de experiências. 
       O tema do estudo bíblico foi: 
        "Mães e pais revelando a imagem do amor de Deus!"


    


 Veja mais fotos em: 
https://picasaweb.google.com/107816929161147700451/CafePeloDiaDasMaes#

Assado no capricho

No dia 06 de maio, o departamento de leigos da CELCR preparou um saboroso galeto.
Foram vendidos mais de 200 cartões.
O recurso será revertido para projetos de manutenção e melhoria do patrimônio da CELCR.


Dependo de Ti


Que animal retrataria nossa personalidade, nosso ser? Um gato, um cachorro? O gato foge quando o ladrão vem à casa do dono. O cachorro fica, defende o seu dono e o território, mesmo que lhe custe a vida. O gato volta aos poucos, observando se o perigo passou, para comer mais um pote de whiskas.
Que o animal retrataria a nossa personalidade, nossas atitudes, nossa realidade? Em sua santa palavra, Jesus nos mostra que animal descreve a nossa realidade: a ovelha.
Se há ovelhas, há o pastor, O BOM. Não um bom pastor, mas, o Bom Pastor! A característica do Pastor se revela na imagem do Pastor de ovelhas, buscando e salvado as ovelhas que se extraviaram, se machucaram, que estão sedentas de pastos verdejantes e águas tranqüilas. O Bom Pastor dá vida pelas suas ovelhas. Não é mercenário. Não foge quando o perigo chega. Defende seu rebanho. (João 10; Lucas 15)
O quadro pintado é surpreendente. O bom, perfeito, eterno, santo, justo, Pastor e Deus, se faz uma ovelha igual a nós. Não é mais uma ovelha, mas a Ovelha, o Cordeiro, que e acha mudo diante dos seus tosquiadores, que serve como sacrifício perfeito, definitivo para pagamento de nossa dívida diante de Deus. O Sangue deste Pastor-Cordeiro, Deus-Homem, tira, lava o pecado do mundo. O Pastor-Cordeiro cumpre o plano da sabedoria eterna de Deus. (João 10.18)
Deus, o Bom Pastor, amou o seu rebanho tanto que deu a vida do Cordeiro Santo para que todo o que nele crê não mais precise andar com medo, desesperado, com fome, sede,  mas consolado, animado, alentado, saciado, bem-aventurado, pois sabe que nada faltará, pois o Bom Pastor está com ele, vivo, CORDEIRO VENCEDOR. 
 A vida humana em geral é uma busca constante de independência. Até que ponto a independência é real ou boa? Talvez uma independência [interdependência] dentro da dependência total do Bom Pastor.
Até o mundo incrédulo que grita: Independência de Deus, não dá um passo fora da dependência de Deus e dos outros. Aquele que planta e colhe seu arroz, calça sapatos que alguém outro fabricou; e quem escreve seu livro: “Deus, um delírio”, o faz sobre a mesa que algum simples carpinteiro tenha construído; e quem derruba os seus pequenos seleiros, e constrói seleiros maiores para armazenar suas abundantes colheitas para gozar de vida tranqüila e independente, precisa responder a pergunta intrigante e reveladora: “Louco, esta noite te pedirão a tua alma; e o que tens preparado, para quem será?”  (Jesus – Lucas 12.20)
Qual a resposta? A reposta é: Não somos independentes, reis da selva - leões. Nos sentimos leões, muitas vezes. Porém, não somos. Somos ovelhas, dependentes, frágeis, passageiros, e temos diante de nós um vale escuro, vale da sombra da morte.
Reconhecer a dependência e abrir, em fé, os ouvidos à voz do Bom Pastor é o que precisamos. Não sabemos encontrar o caminho, não sabemos voltar ao aprisco. Mas o Bom Pastor, como Cordeiro santo, sacrificado e  vencedor, vem ao nosso encontro. Ele ama o seu rebanho. Ele busca a perdida. Ele perdoa, acolhe, carrega. Há benção sem igual nesta dependência. “Bondade e misericórdia certamente me seguirão todos os dias da minha vida; e habitarei na Casa do Senhor para todo o sempre.”  (Salmo 23.6)
A independência e a interdependência precisam estar sob a dependência do Bom Pastor. Assim, o marido passa a sua camisa; a esposa trocar o pneu furado do carro [?!]. É bom poder depender! Também é bom ter independência: financeira, profissional, de entorpecentes (álcool, cigarro, drogas, jogos).
Penso que a independência com bênção exista apenas dentro da dependência do Bom Pastor.
Quando buscamos uma independência por si só, caminhamos para o penhasco, para os espinhos, em direção aos lobos ferozes, nos perdemos e não sabemos voltar, não mais achamos os pastos verdejantes e nem as águas tranqüilas, e o vale da sobra da morte nos aflige, assusta, amedronta, desespera,angustia, sufoca.
Quando queremos gritar: “Independência de Deus!”, o Bom Pastor se revela, dizendo: “Independência é morte! Dependência é vida!”
Davi escreve: “O Senhor é meu Pastor, nada me faltará! Ainda que eu ande pelo vale da sombra da morte, nada temerei, porque tu estás comigo.”
O bom pastor diz: “Eu lhes dou a vida eterna; jamais perecerão, e ninguém as arrebatará da minha mão.” (João 10.28)
Dependemos de Deus e interdependemos uns dos outros. “Ora, o seu mandamento é este: que creiamos em o nome de seu Filho, Jesus Cristo, e nos amemos uns aos outros, segundo o mandamento que nos ordenou.” (1 João 3.23)
Qual animal retrata a nossa realidade?  - Sou cordeiro de Jesus. Acharei a eterna vida, nos teus braços, bom Pastor. Canto alegre o teu louvor. Amém.
Pastor Jonas 

Chá pelo Dia das Mães

     A reunião do Departamento de Servas do dia 02 de maio lembrou de forma especial o Dia das Mães.      O tema abordado foi: "Vivendo privilégios e responsabilidades." Após o devocional, teve o momento de confraternização, sendo servido um saboroso chá.
Veja fotos em: https://picasaweb.google.com/107816929161147700451/ChaDiaDasMaes02