"Mas agradeçamos a Deus, que nos dá a vitória por meio do nosso Senhor Jesus Cristo. I Co 15.57"

PROMETER E CUMPRIR!



Adeus ano velho, feliz ano novo! A velha frase tem todo o seu sentido exaltado a cada final de ano. Junto com o novo ano que chega, promessas e mais promessas são feitas a respeito do novo ano que surge. Segundo psicólogos, este é o pior período do ano para se fazerem promessas. Especialmente porque a sensibilidade das pessoas está a flor da pele, devido ao encontro de familiares, amigos, e os desejos de um ano bom. Na virada do ano é comum as pessoas fazerem promessas. No entanto, elas dificilmente sobrevivem ao cotidiano. Segundo a neuropsicóloga Cléa Brito, o primeiro passo para fazer uma promessa é ter determinação. E em seguida realizar um treino cognitivo: “O cérebro quando treinado, estimula o cumprimento da atividade traçada para o ano.”  Ela ainda exemplificou como funciona o treino cognitivo:  “Uma pessoa que estipulou uma meta. O primeiro passo é escrever bem grande em um lugar visível o objetivo para que seja visto todos os dias. O cérebro processa a informação e isso vira uma meta, consequentemente um hábito.”
Nosso Deus também fez uma promessa. Uma promessa que não está limitada ao final do ano. Uma promessa que foi escrita na Bíblia, afim de lembrarmos desta também como um objetivo de vida. Uma promessa que deve ser realidade todos os dias e que foi bem destacada pelo próprio Salvador Jesus: “Eis que estou convosco todos os dias até a consumação do século.” (Mt 28.20b).
Que bom que as promessas de Deus são realidade e não meros objetivos que podem fracassar. Neste 2016 que se inicia, que possamos lembrar da presença de Deus diariamente, pois Ele faz suas promessas não dirigido por emoções ou sentimentos humanos, mas firmado em sua misericórdia e amor revelados a nós através do Salvador Jesus Cristo.
Prometer e cumprir são alvos a serem buscados por nós em todos os setores da vida. Estamos sim sujeitos a falhas nestes objetivos. Com Deus é diferente, ao prometer baseado em seu amor, tratou de cumprir com o que estabelecera por amor a cada um de nós.
Feliz 2016 com aquele que promete e cumpre, nosso Deus!
Com carinho, pastor Valdir.

NÃO CALEM O SALVADOR!


           Queridos irmãos e irmãs.
Causou uma grande polêmica no Brasil a decisão da justiça em tirar do ar o famoso aplicativo “whatsapp”. Este programa permite que as pessoas se comuniquem através de mensagens escritas, ou de voz, como se fosse uma ligação telefônica, desde que possuam um número de telefone celular e sinal de internet. O mais interessante é que tudo isso acontece de graça, sem custo algum para o usuário. As empresas de telefonia celular reclamam que o whatsapp faz de graça o que elas fazem tendo de cobrar uma tarifa por causa dos impostos e do custo das ligações e mensagens. A gota d´água aconteceu a uma semana atrás, quando por algumas horas a justiça executou uma decisão de tirar do ar o whatsapp, impedindo seu funcionamento. A “gritaria” foi grande, pois são milhões de pessoas usando o programa, o que gerou uma campanha nas mídias chamada: “não calem o whatsapp”.
Estamos vivendo mais um Natal. Assim como o famoso “whatsapp” que oferece tudo de graça, o Natal também vem, trazendo consigo algo que recebemos gratuitamente, sem imposto ou cobrança de tarifas: a salvação! Através da vinda de Jesus, recebemos o maior de todos os presentes: a salvação eterna! Assim como a justiça tentou “calar” o whatsapp, muitos tentaram impedir que a vinda de Jesus cumprisse com os propósitos de Deus. O salmista declara: “Os reis da terra se levantam, e os príncipes conspiram contra o SENHOR e contra o seu Ungido, dizendo: Rompamos os seus laços e sacudamos de nós as suas algemas.” (Sl 2.2-3) Ao invés de revidar com uma “gritaria” nas redes sociais como as pessoas estão fazendo por causa do whatsapp, a resposta do Senhor é outra, segundo o salmista: “Ri-se aquele que habita nos céus; o Senhor zomba deles. Na sua ira, a seu tempo, lhes há de falar e no seu furor os confundirá.” (Sl 2.4-5) É muito importante, é consolador, lembrarmos que os planos de Deus não podem ser mudados pelos seres humanos. Deus planejou e executou seu plano de salvação a revelia do que pensavam os seres humanos. Fez mais do que isso, os presenteou gratuitamente com a salvação.
Por isso, como filhos deles, devemos ouvir o que Ele tem a nos dizer: “Não calem o Salvador”. Seja o seu choro na manjedoura de Belém, sejam suas palavras ditas na busca de salvar a cada um de nós, fazendo viva e eficaz a sua presença, seja na palavra e nos santos sacramentos, seja também através do Espírito Santo a ecoar em nossos corações. Um feliz e abençoado Natal com Jesus!
Com carinho, Pastor Valdir.

A alegria que vem do Salvador!




Estamos tendo um final de ano muito tenso em nosso país. Na esfera política vemos uma briga intensa entre situação e oposição, colocando em xeque nossos principais líderes, desde a presidência da república passando pela câmara e senado. Na esfera econômica, vemos nosso país sendo rebaixado, e perdendo assim a confiança que havia conquistado no mercado internacional. Não bastasse isso, vemos o poder de compra do brasileiro diminuindo consistentemente e a inflação a níveis galopantes. Do ponto de vista humano, temos diante de nós um cenário nada animador. Pois uma situação parecida era vivida pelo povo de Deus antes da chegada do Salvador Jesus. Em termos políticos sofriam debaixo do jugo romano, ansiando também por tempos melhores. Em termos econômicos, viam não somente o governo descambar, mas também o poder de compra do povo diminuir dia após dia através de altos e descabidos impostos que eram cobrados. Pois foi no meio deste cenário caótico que Deus deu a melhor de todas as respostas ao mundo. O evangelista João destaca este feito de Deus: “Porque Deus amou ao mundo de tal maneira que deu o seu Filho uni9gênito, para que todo o que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna.” (Jo 3.16) A vinda do Messias contrariou expectativas. Contrariou as autoridades da época, que temiam que Ele promovesse uma revolução, o que fez com que ordenassem a matança de todos os meninos recém-nascidos na ânsia de impedir o cumprimento da profecia. Contrariou também o povo, que aguardava um Messias justiceiro, que impunharia uma espada e levaria a cabo a libertação física de Israel. Sem dúvida alguma aqueles que alimentavam tais expectativas se viram desanimados diante da ideia que Deus adotou.
Por falar em ânimo, como anda nosso ânimo nestes tempos difíceis que vivemos?
Não esqueçamos do maior de todos as bênçãos que recebemos! Deus envia a Jesus com o propósito de restabelecer a aliança conosco, seus filhos. Num mundo em que se valoriza tanto o poder, o dinheiro, a fama, a projeção humana, a mensagem cristã acaba por vezes ignorada ou deixada de lado. Deus envia seu Filho ao mundo para que o desespero e a amargura deem lugar a alegria da salvação. Portanto, vivamos este Advento e o Natal que se aproxima animados, não pelo que o ser humano fez e está fazendo, mas por causa daquilo que Deus já cumpriu em seu Filho Jesus Cristo. Desta maneira, o desânimo cederá espaço a alegria que vem do Salvador, o menino de Belém. Amém.
Com carinho, Pastor Valdir.

 

BENDITO AQUELE QUE VEM EM NOME DO SENHOR!


Querido povo de Deus.
Tem causado preocupação nos últimos dias a chegada de um visitante nada desejado. O tão falado “zika vírus”, tem assustado não somente o norte do Brasil, mas agora também o Rio Grande do Sul, especialmente por ter sido diagnosticado um caso na cidade de Porto Alegre. O vírus Zika é transmitido por meio da picado do mosquito Aedes Aegypti, o mesmo mosquito da dengue. Este mosquito se prolifera em locais onde há acúmulo de água, por isso as autoridades recomendam tampar caixas d’água e piscinas, além de fazer uso de repelentes e telas nas casas. Os sintomas do Zica vírus são: febre, coceira, dor de cabeça, dor atrás dos olhos, dor no corpo e juntas, além de manchas vermelhas pelo corpo. Como se pode ver, o tão falado “zika vírus” é um dos visitantes mais indesejáveis neste final de ano.
Por outro lado, neste período do ano, não podemos deixar de lembrar daquele que vem, e que é sempre festejado: Jesus Cristo.
A Escritura fala dele com toda a propriedade do mundo, especialmente quando narra a sua entrada triunfal em Jerusalém e a recepção do povo: “Bendito é o Rei que vem em nome do Senhor!” (Lc 19.38) Infelizmente, muitas pessoas tratam a vinda do Salvador Jesus de forma igual a que tratariam a chegada do vírus Zika. Outros o tratam com indiferença, deixando-o de lado especialmente diante de um tão falado “espírito de Natal” que nada mais é do que um elogia á capacidade humana de, por si própria, criar um ambiente de pretensa paz.
Neste sentido, somos convidados neste período de Advento, a nos voltarmos ao Salvador Jesus, fazendo coro com o povo de Jerusalém, dizendo, proclamando, gritando aos quatro ventos: Bendito aquele que vem em nome do Senhor! Vem Senhor Jesus. Amém.
Com carinho, Pastor Valdir Lopes Junior.

COMO HEI DE RECEBER-TE, BENDITO SALVADOR?



        Queridos em Cristo Jesus. Dezembro é um mês em que a correria dos dias aumenta consideravelmente. Como alguém mencionou, parece que se quer conquistar em um mês aquilo que não se arrecadou nos 11 meses anteriores. O comércio agita-se, o turismo então, especialmente em nossa região, recebe um grande fluxo de pessoas. Todo este agito circunda o Natal que se aproxima. Por falar em Natal, lembremos que estamos vivendo o tempo que o antecede, o Advento. Advento significa vinda. Vinda de quem?  A vinda do Salvador Jesus. Esta vinda aconteceu em carne (no menino de Belém), acontece frequentemente (em palavra e sacramentos) e acontecerá quando Ele retornar para julgar vivos e mortos no dia do juízo final.
Pois o Hino de número 13 de3 nosso hinário, um hino de advento, inicia com uma pergunta muito interessante e bastante profunda: “Como hei de receber-te, bendito Salvador?” Este é um questionamento que tem um profundo significado em nossa vida cristã. Como estamos nós, recebendo o Salvador Jesus?
Ao relembrarmos sua vinda ao mundo e obra de salvação realizada em nosso favor, como temos acolhido e vivido esta mensagem?
Ao recebermos frequentemente a palavra de Deus e a santa ceia nos cultos, qual tem sido o nosso sentimento e nossa postura diante destas bênçãos?
Ao nos prepararmos para sua volta, sem dia nem hora marcada, como está nossa expectativa diante desta vinda?
O autor do hino, Paul Gerhardt, responde a pergunta que faz: “Como hei de receber-te, bendito Salvador?” dizendo: “Minha alma anseia ver-te, saudar seu Redentor. Ó Cristo, me ilumina a mente natural; em ti viver me ensina em submissão total.
Em mais um advento, lembramos que estar preparado, significa viver uma vida onde buscamos o conselho de Jesus, e numa vida de submissão, onde sei que nada posso fazer para ser salvo, permito que Jesus me leve para o céu.
Que possamos em mais um Advento, pedir que Jesus ilumine nossas mentes para esperá-lo, firmes na fé, afim de vivermos o verdadeiro Natal aqui na terra, e um dia, junto dele no céu.
Com carinho, Pastor Valdir.