"Mas agradeçamos a Deus, que nos dá a vitória por meio do nosso Senhor Jesus Cristo. I Co 15.57"

EU E MINHA CASA SERVIREMOS AO SENHOR!


Sob a forte, corajosa e sábia liderança de Josué, o povo de Israel estava novamente na terra prometida de Canaã. Reinava paz e prosperidade. Permanecia, porém, o perigo de idolatria. Josué pressente que a hora de sua morte está chegando. Não quer partir sem antes aconselhar e admoestar o povo que havia dirigido e apascentado como pastor. Acima de tudo, quer dar testemunho pessoal e familiar de fidelidade ao Senhor, e propor uma renovação da aliança de todo o povo de Israel para com o único Deus verdadeiro. Neste sentido ele dá uma declaração contundente e necessária: “Eu e minha casa serviremos ao Senhor!” (Js 24.15) Josué estava declarando que sua família serviria a Deus. Ao declarar tal objetivo, ele estava enfatizando que ele e seus familiares estariam refugiando-se naquele que era o Senhor dos senhores! Ao ouvir a admoestação de Josué, o povo de Israel cai em si e responde: “...portanto, nós também serviremos ao Senhor, pois ele é o nosso Deus.” (Js 24.18b)
Que resposta fabulosa dada pelo povo de Israel. Foi necessário que Josué os provocasse dizendo que não concordava com os rumos que estavam sendo propostos. Depois de tudo o que Deus fizera por aquele povo, tirando-os do Egito, alimentando-o ao longo da peregrinação até a terra prometida e agora entregando-a conforme tinha planejado, muitos israelitas ainda estavam “em cima do muro”, por causa da idolatria e preferências pessoais. Josué então os confronta e obtém uma bela resposta. Ora, se Deus era o Deus deles, porque não seria Ele o personagem principal da vida daquele povo? Deus luta contra a incoerência de Israel e através de Josué os faz ver quem de fato é o seu Deus.
Queridos irmãos e irmãs: Eu e minha casa serviremos ao Senhor!
As corajosas palavras de Josué, nos levam a refletir sobre algumas coisas. Será que estamos orientando nossas famílias através do caminho que o Senhor estabeleceu como o ideal? Quanto tempo temos investido em cada área? Será que muitas vezes, as prioridades que estamos escolhendo não estão deixando Deus em segundo lugar? 
Não esqueçamos que nossa igreja, nossa congregação, é um porto seguro onde podemos com nossas casas, nossas famílias, servirmos ao Senhor. Isso não significa alienar-se do mundo, mas recebermos o fortalecimento necessário através da palavra de Deus e dos sacramentos, para vivermos nosso cristianismo diariamente, reconhecendo as bênçãos que Deus nos dá, resistindo as tentações e testemunhando do seu amor incondicional. Aproveitemos as oportunidades, como a do próximo sábado 19 horas, quando teremos nosso CULTO DOS 100%. Venha com sua família participar, recebendo o perdão, fortalecimento de fé, e reassumindo nosso compromisso como Congregação Cristo Redentor! Esperamos por todos vocês!

Com carinho, pastor Valdir.

A DÍVIDA JÁ ESTÁ PAGA


O estado do Rio Grande do Sul tem vivido dias terríveis em sua história. Não bastasse a crise financeira, na qual o estado já vinha se arrastando por anos e anos, agora o funcionalismo público sofre impactos diretos naquilo que mais preza, o seu salário. Não há nada mais sagrado do que o ganho do trabalhador. O próprio Deus o reconhece. Quando encarrega a Adão e Eva de seu primeiro trabalho (cuidar do jardim), também trata de dizer-lhes qual seria o seu “salário”, ou, melhor dizendo, de onde viria o seu sustento: “Eis que vos tenho dado todas as ervas que dão semente e se acham na superfície de toda a terra e todas as árvores em que há fruto que dê semente; isso vos será para mantimento.” (Gn 1.29) É claro que Deus iria dar aos dois o necessário para sobreviver, no entanto, podemos ver ali os direitos do trabalhador sendo bem declarados, pois trabalhar é uma bênção acima de tudo. Ora, se o próprio Deus reconhece o direito do trabalhador, os próprios trabalhadores não deixariam passar em branco o parcelamento salarial imposto pelo governo do estado. Começaram protestos, trabalhos em regimes de meio-turno, que enfatizam e dão contornos cada vez mais preocupantes a crise que nos atinge.
Se em nosso estado as coisas não andam bem, o mesmo pode ser dito a respeito da vida humana. Desde a queda em pecado, o ser humano vive uma crise terrível, onde ao sucumbir diante da mesma, acabou por afastar-se daquele que é o único capaz de vencer toda e qualquer crise. Neste ponto, como é bom e saudável lembrar da misericórdia de Deus. O Senhor procurou uma alternativa de pagar as dívidas que tínhamos, livrando-nos de uma crise com custos impagáveis. Ao enviar Jesus Cristo, tratou de quitar de uma vez por todas tudo aquilo que nos deixava endividados, e ainda nos abriu o crédito da salvação eterna, como atesta o apóstolo Paulo: “...tendo cancelado o escrito de dívida, que era contra nós e que constava de ordenanças, o qual nos era prejudicial, removeu-o inteiramente, encravando-o na cruz;” (Cl 2.14)
Tendo a certeza do amor e cuidado de Deus, não deixemos de orar pelo nosso Rio Grande do Sul nestes tempos tão difíceis. Por outro lado, não esqueçamos de também de agradecer a Deus por ter pago nossas dívidas. Sem dúvida alguma, podemos ter a certeza de que, amparados nele, não correremos o risco de parcelamentos, pois a dívida já está paga.
Com carinho, Pastor Valdir.


UM PAI QUE NOS AMA IMENSAMENTE!


      "Como um pai se compadece de seus filhos, assim o Senhor se compadece dos que o temem." 
                                                                                                                                    (Sl 103.14)
       Mais um dia dos pais chegou, e com ele, lembranças que ficaram, emoções sendo vividas no presente, e projetos sendo almejados no futuro. Em todas estas situações, podemos ter a certeza de um Pai amoroso e misericordioso, que procurou estender-nos a mão e nos dar uma nova vida através do sacrifício de seu único Filho, Jesus Cristo. Racionalmente falando, alguém argumentaria que o ato de Deus, foi na verdade um ato maldoso, pois, afinal de contas, qual pai permitiria a morte de seu único filho? 
       Ao estarmos rodeados de tantos maus exemplos nesse sentido, devemos lembrar que o ato de amor de Deus, não pode ser visto do ponto de vista humano e racional. Ele precisa ser compreendido do ponto de vista da fé cristã, quando compreendemos e assimilamos que este ato único proporcionou que pais e filhos pudessem ser amados e amarem-se mutuamente através do amor de Deus ali revelado! Neste sentido, como é bonito ler o Salmo 103 versículo 14. Deus usa a figura do pai terreno, para demonstrar, em parte, o amor que nutre por todos nós, seus filhos.
       Por isso, queridos pais e filhos, passado mais um dia dos pais, vivam vivamos este período na certeza de um Pai Maior, amoroso e misericordioso, que nos ama imensamente!
                                                                                                                   Com carinho, Pastor Valdir.