"Mas agradeçamos a Deus, que nos dá a vitória por meio do nosso Senhor Jesus Cristo. I Co 15.57"

QUARESMA: TEMPO DE UNIÃO APESAR DO TRAUMA DO PECADO!

A palavra união é uma palavra bastante significativa. Não estamos aqui falando em termos jurídicos ou sociais, mas do ponto de vista bíblico. No texto de Gênesis 3.1-21, nos deparamos com a queda em pecado. O ato mais catastrófico do ser humano é pintado em letras garrafais, mostrando não somente a queda, mas também as consequências desta queda, as sanções, as medidas tomadas por Deus. Ora, pois apesar do trauma do pecado, a palavra “união” não sucumbiu. Sim, existe união apesar do trauma do pecado! Vamos falar um pouco sobre este trauma tão grande.
Ao falarmos sobre ele, lembramos a maneira como Deus lidou com Adão e Eva. Deus não castigou a Adão logo, mas o atraiu com perguntas: Onde estás? Deus sabia onde ele estava, mas era necessário trazê-lo para perto. Adão e Eva estavam experimentando pela primeira vez o que significava o medo! Eis uma consequência bem clara decorrente do trauma do pecado. Hoje o ser humano tem medo de Deus! A segunda e terceira perguntas feitas pelo Senhor a Adão apontam para a violação de sua vontade: Quem te fez saber que estavas nú? Comeste da árvore que te ordenei que não comesses? A resposta de Adão resulta na transferência da culpa. Adão acusa Eva, e em última análise, acusa o próprio Deus que a criara. Este tipo de atitude nós também praticamos nos tempos atuais.
No entanto, apesar disso, Deus preservou a união conosco e o fez fundamento numa promessa e demonstração de amor: “Porei inimizade entre ti e a mulher, entre a tua descendência e o seu descendente. Este te ferirá a cabeça, e tu lhe ferirás o calcanhar. Fez o SENHOR Deus vestimenta de peles para Adão e sua mulher e os vestiu.” (Gn 3.15,21) Deus não abandonou seus filhos ao relento! Ele proclamou sim sua sentença, mas os trouxe para si fazendo  a promessa messiânica! Sim, temos aqui o que podemos chamar de “protoevangelho”! Apesar de ser uma sentença passada a satanás, e não uma promessa direta ao ser humano, Deus aponta para o envio do Salvador Jesus! A descendência da mulher, é o próprio Cristo!
Assim, Deus, apesar de seu desapontamento, vai ao encontro de seus filhos. Este ato ganha contornos mais ilustrativos, quando Moisés narra que o Senhor fez roupas para Adão e Eva, e Ele mesmo os vestiu! Não há como não lembrar aqui o ato de humildade do Salvador Jesus, quando, na véspera de sua morte curva-se e lava os pés de seus discípulos! Eis aqui uma demonstração de amor tremenda da parte de um Deus que mesmo diante do desprezo de seus filhos, busca união com eles, busca abraça-los e tê-los consigo! Neste tempo quaresmal, vivamos com Ele em união!
Com carinho, pastor Valdir.

Nenhum comentário:

Postar um comentário