"Mas agradeçamos a Deus, que nos dá a vitória por meio do nosso Senhor Jesus Cristo. I Co 15.57"

VIVENDO NO FIO DA NAVALHA!

Quantas vezes você, querido irmão, querida irmã já ouviu esta frase? Geralmente ela aparece quando se vive situações limítrofes, onde alguma consequência ou perigo são iminentes se algo não sair conforme planejado. Nos esportes, quando um atleta se empenha ao máximo, é dito que ele realizou a prova “no fio da navalha” pois qualquer erro poderia colocar tudo a perder...
Esta frase também pode ser aplicada a situação pecaminosa vivida pelo ser humano. Vivendo afastado de Deus, sua situação é vivida no limite, no fio da navalha, como declara Salomão no livro de Provérbios ao reproduzir as palavras do Senhor: “Mas o que peca contra mim violenta a própria alma. Todos os que me aborrecem amam a morte.” (Pv 8.36) Violentar a própria alma, sem dúvida alguma está intimamente ligado ao fato de que o ser humano, por ter naturalmente a lei de Deus escrita em seu coração, sente pesar e tristeza quando erra. Porém, sem o perdão deste Deus, este ser humano até se sente contrito, mas não chega ao arrependimento. Ainda, segundo o próprio Deus, os que amam a morte podem ser definidos como aqueles que o aborrecem, ou, em outras palavras, aqueles que mesmo tento tido contado com a vontade do Senhor, não observam a sua lei e ignoram os seus mandamentos vivendo assim “no fio da navalha”, pois podem, a qualquer momento, partirem desta vida sem ter a oportunidade de perdão e salvação.
Este é o tom da conversa de Jesus com seus discípulos: “Portanto, todo aquele que me confessar diante dos homens, também eu o confessarei diante de meu Pai, que está nos céus; mas aquele que me negar diante dos homens, também eu o negarei diante de meu Pai, que está nos céus.” (Mt 10.32-33) É muito tênue a linha que separa o ser humano da salvação ou da condenação. Esta linha tem um único nome: Jesus Cristo! É somente através de Cristo que conseguimos viver esta vida “no fio da navalha”. Afinal de contas, vivemos na tensão entre o “já” (pois já estamos salvos em Cristo Jesus) e o “ainda não” (ainda não recebemos esta salvação definitivamente).
Sendo assim, vivamos nossa vida encorajados através da fé em Cristo principalmente confessando-o como nosso único e suficiente Salvador. Pois Ele, não falhou ao vir nos resgatar. Se nós falhamos, podemos lembrar dele, que nos deu perdão e vida nova. Uma vida terrena, que é vivida “no fio da navalha” em termos humanos, mas que pela fé nele, é vivida na certeza da vida que não acaba, a vida eterna.

Com carinho, Pastor Valdir.

Nenhum comentário:

Postar um comentário