"Mas agradeçamos a Deus, que nos dá a vitória por meio do nosso Senhor Jesus Cristo. I Co 15.57"

Encontro de Casais - 2011 III

     No dia 22 de julho aconteceu mais um Encontro de Casais. O tema do estudo foi: "A felicidade está de volta ao lar!", dirigido pelo pr. Ilmo Riewe, da CEL Concórdia de Gramado.
     Agradecemos a equipe que auxiliou na organização e realização deste encontro.
     Ficamos felizes com a presença de cada um. Queremos que seja mais uma importante oportunidade de crescimento na palavra de Jesus.
     O próximo encontro será no dia 23 de setembro.

Veja fotos em: https://picasaweb.google.com/celcrcanela/EncontroDeCasais072011#

JULUCA - ontem, hoje, amanhã


     Com o objetivo de reunir os jovens e todas as idades, especialmente os que participaram da JULUCA (Juventude Luterana de Canela) nos últimos 20 anos, foi planejado o Encontro de Jovens de Todas as Idades. Foi no último dia 17 de julho.
     Em torno de 200 convites foram impressos e distribuídos. A ideia era de passarmos o dia juntos, com atividades e momentos diversos (Momento de culto, relembrar histórias, olhar fotos, fazer brincadeiras, praticar esporte).
     O encontro aconteceu, porém não na íntegra. A chuva, o frio, os compromissos, a distância,  o trabalho, o cansaço, a indiferença, o comodismo...  (são tantos os motivos)  impediram que estivéssemos em grande número.
     Mas, teve o culto - com bastante canto, bela mensagem, Santa Ceia - e após o momento de compartilhar fotos, e histórias. Também saboreamos um delicioso almoço.
     Mesmo que estávamos em pequeno número, foram momentos bem legais. Quem sabe repetimos??!!

SEGURANÇA EM MEIO AO TUMULTO!

Filhinhos, eu vos escrevo, porque os vossos pecados são perdoados, por causa do seu nome. Pais, eu vos escrevo, porque conheceis aquele que existe desde o princípio. Jovens, eu vos escrevo, porque tendes vencido o Maligno. Filhinhos, eu vos escrevi, porque conheceis o Pai. Pais, eu vos escrevi, porque conheceis aquele que existe desde o princípio. Jovens, eu vos escrevi, porque sois fortes, e a palavra de Deus permanece em vós, e tendes vencido o Maligno.” 1 João 2.12-14
O Apóstolo João é conhecido como o Apóstolo do amor.
Ele começa falando aos filhinhos. O termo usado expressa uma forma gentil pela qual os mestres se dirigiam aos seus discípulos. Os filhinhos são a igreja como um todo. Eles podem e devem amar a Deus com todo o seu coração porque seus pecados estão perdoados por amor de Cristo; o mal por eles feito, sendo perdoado,  não mais bloqueia seu caminho para a luz, e eles conhecem Jesus, como seu caminho para a luz e seu Pai perdoador.
A virtude deles não está neles. “Porque os vossos pecados são perdoados por amor de Jesus”, diz João. Está no perdão. Por isso, ele carinhosamente os chama de filhinhos.
O Profeta Isaias dizia: “(Deus) faz forte ao cansado, e multiplica as forças ao que não tem nenhum vigor. Os jovens se cansam e se fatigam, e os moços de exaustos caem, mas os que esperam no Senhor renovam as suas forças, sobem com asas como águias, correm e não se cansam, caminham e não se fatigam” (Isaías 40.29-31).
O Apóstolo faz outra distinção amorosa.
Ele fala aos pais. Os pais, espinha dorsal da igreja, cristãos maduros, com convicções estabelecidas, conhecem a Ele que é desde o principio, que é a Palavra da vida, que os trouxe  para uma duradoura comunhão de amor com Deus.
A distinção pais - filhinhos, não é necessariamente uma questão de idade. Talvez mais, de experiência. A idéia presente aponta para aqueles que são como uma espinha dorsal, guiada pela cabeça do corpo, que é Cristo, e que preserva todo o corpo por amor, e em amor, de forma carinhosa, misericordiosa.    (Imagem de www.google.com)
O Profeta Isaias fala que os “que esperam no Senhor” são fortes, fortalecidos. Aqui, João diz que eles conhecem aquele que existe desde o principio – o Eterno, o Deus que salva o seu povo. Aquele que não entendemos por nós mesmos mas conhecemos pela fé.
E o apóstolo faz outro destaque:
Ele fala aos jovens. Vejam só quão significativas são estas palavras. Os jovens, esperança e futuro da igreja, ganharam a vitória sobre o mal em um tempo quando a vitória é mais difícil; eles sabem que eles tiveram a força para a vitória na Palavra de Deus. Por isso o Apóstolo lhes escreve, com carinho, respeito e amor.
Eles venceram o Maligno, estão vencendo o Maligno. Aqui se fala daquele que é o inimigo, o grande inimigo. Mas os jovens, fortes, venceram o Maligno.
Quem são os fortes? Isaias diz que são os que esperam no Senhor. Importante é o destaque de João: “a Palavra permanece em vós”. Jesus diz que “se vós permanecerdes na minha Palavra sois verdadeiramente meus discípulos” (João 8). Permanecer é viver na Palavra, e viver a Palavra de Deus. Não é uma coisa automática, nem racional.  A Palavra viva é necessária. A força que transforma e fortalece, é a Palavra viva e eficaz. Esta é a arma do cristão, para derrotar o Maligno. E quando o Apóstolo fala isso aos jovens, ele lembra como esta fase da vida é difícil. Novos conhecimentos, oportunidades sem conta, auto-confiança e vigor físico. Mas, vós tendes vencido o maligno.
Então ....guia-nos, filhinhos, pais, jovens, na luta AVANTE  para o céu Jesus! Amém.
Pastor Erni Krebs 

Aniversário do Departamento de Servas

     No dia 06 de julho, celebramos o aniversário do Departamento de Servas da CELCR.
     O tema do encontro foi: "Fazer Parte!"
     Após o momento devocional, foi servido um delicioso chá.
     Nossa gratidão a todos que se envolveram. 


Veja fotos do momento do Chá de Aniversário em: 
https://picasaweb.google.com/celcrcanela/ChaAnualDasServas02

DA ESCRAVIDÃO PARA A LIBERDADE PLENA

          É difícil imaginar uma liberdade plena, completa. O que seria esta liberdade?
Jesus, no Evangelho fala que “eu vim para que tenham vida e a tenham em abundancia”(Jo 10.10).
O Apóstolo Paulo contesta os gálatas, que com regras humanas, desvirtuaram o Evangelho: “Para a liberdade foi que Cristo nos libertou. Permanecei, pois, firmes e não vos submetais de novo a jugo de escravidão”(Gl 5.1)
Alguém se sente aprisionado? ou, plenamente livre?
O ser humano vive este drama. Ora é escravo, e perde a sua liberdade. Ora, se sente livre, e até oprime seu semelhante. Em termos humanos, a escravidão nunca está separada de poder, riquezas, até mesmo  do conhecimento e da sabedoria humanas.
A história do povo de Deus também nos confronta com opressão. É num contexto de opressão suprema que ecoam as palavras do texto bíblico de Zacarias 9.9-12:.  “Alegra-te muito, ó filha de Sião; exulta, ó filha de Jerusalém: eis aí te vem o teu Rei, justo e salvador, humilde, montado em jumento, num jumentinho, cria de jumenta.  Destruirei os carros de Efraim e os cavalos de Jerusalém, e o arco de guerra será destruído. Ele anunciará paz às nações; o seu domínio se estenderá de mar a mar,desde o Eufrates até às extremidades da terra.  Quanto a ti, Sião, por causa do sangue da tua aliança, tirei os teus cativos da cova em que não havia água. Voltai à fortaleza, ó presos de esperança; também, hoje, vos anuncio que tudo vos restituirei em dobro”.
É o ano 500 AC. O povo de Israel fora deportado, agora volta à sua terra. O que encontram é destruição e corrupção, presentes entre o próprio povo de Deus. Situação trágica e sofrida. Os inimigos eram não só os poderosos ao redor, mas também os infiéis entre o povo. Os profetas não eram ouvidos. Falsidades eram levantadas contra eles, para desacreditá-los perante o povo. É para dentro desta realidade de coisas que o profeta anuncia as palavras de nosso texto.Quando tudo lembra opressão, a PROMESSA DE DEUS É DE LIBERDADE!
A liberdade está no Rei que vem. Ele traz alegria e júbilo. Ele é o Príncipe da Paz.
O povo deveria acordar para algo que não podia ver, nem com sua capacidade medir, no qual, no entanto, poderia colocar toda a sua confiança.
Quem comete pecado, é escravo do pecado (Jo 8.34). Ninguém pode se considerar livre por si só. Mas todos podemos nos sentir livres, porque Cristo venceu o pecado por nós, ao morrer na cruz. Assim, já não vivemos presos ao inimigo, mas para Cristo que vive em nós. O último inimigo a ser destruído é a morte(1 Co 15.26). Cristo já ressuscitou. Assim também nós ressuscitaremos. Aí sim, seremos plenamente livres – inclusive da dor, da tristeza, da opressão, de injustiças, da enfermidade, da morte. É uma questão de tempo.
Por isso, alegra-te, tu, que pela fé és filho de Deus. Exulta, pois o teu Rei vem. Amém.
Pastor Erni 

OS CONTRASTES

Os contrastes. Os contrários. Eles fazem parte de nossa vida. Quantas vezes aquilo que nós achamos o melhor, se revela o pior; o que nos parece desfrutar e aproveitar a vida, pode significar desperdiçá-la; onde pensamos que há vida feliz, pode reinar um vazio e uma profunda tristeza; onde achamos que há só pobreza e sofrimento, podemos encontrar riqueza e esperança.
No Evangelho conforme Mateus lemos as palavras de Jesus: “Quem acha a sua vida perdê-la-á; quem, todavia, perde a vida por minha causa, achála-á.” (Mateus 10.39) 
A palavra de Deus se revela a nós num contraste à nossa razão. Onde a razão insiste em barganhar com o ser divino com suas obras, o evangelho bíblico diz: Crê somente! Pela graça de Deus sois salvos. (Marcos 5; Efésios 2; Romanos 5)
Onde a religião natural diz: ame a Deus e faz-te seu amigo, a palavra do evangelho contrasta, e diz: “Nisto consiste o amor: não em que nós tenhamos amado a Deus, mas em que ele nos amou e enviou o seu Filho como propiciação pelos nossos pecados.” (1 João 4.10) E, assim, Deus nos faz amigos dele novamente, pela fé em Jesus.
 Onde a razão humana insiste em afirmar: o amor forma a fé, a revelação de Deus nos ensina: a fé [salvadora] é ativa no amor.
O apóstolo Paulo evidencia o contraste entre o pecado humano e a graça de Deus, quando escreve: “Se somos infiéis, ele [Deus] permanece fiel, pois de maneira nenhuma pode negar-se a si mesmo”. (2 Timóteo 2.13)
O evangelho do Salvador Jesus não é uma boa notícia aos moldes da razão humana, mas segundo a graça do bondoso Pai celestial.
Assim, lembramos palavras contrastantes que Jesus disse em outro momento: “Os últimos serão os primeiros, os primeiros últimos”; “Não vim chamar justos, e sim pecadores” ; “Nada há fora do homem que, entrando nele, o possa contaminar; mas o que sai do homem é o que o contamina.” (Mateus 20.16; Marcos 2.17; 7.15)
A GRAÇA DE DEUS CONTRASTA diante do pecado, por causa da compaixão e misericórdia de Deus. A GRAÇA DE DEUS CONTRASTA na vida do pecador arrependido, confesso, entregue a Deus, que ouve a voz do Bom Pastor Jesus [registrada na Bíblia].
A GRAÇA DE DEUS NÃO CONTRASTA onde há incredulidade, frieza, dureza de coração, adoração de lábios, mas com coração longe de Deus. 
Jesus afirmou: “Portanto, todo aquele que me confessar diante dos homens, também eu o confessarei diante de meu Pai, que está nos céus; mas aquele que me negar diante dos homens, também eu o negarei diante de meu Pai, que está nos céus.” (Mateus 10.32,33)
Tudo se responde no contrastante evangelho, nas palavras de Jesus: “Quem acha a sua vida perdê-la-á; quem, todavia, perde a vida por minha causa, achála-á”.
Pastor jnG