"Mas agradeçamos a Deus, que nos dá a vitória por meio do nosso Senhor Jesus Cristo. I Co 15.57"

O SACRAMENTO DO ALTAR - Terceira das Sete Marcas da Presença da Igreja no Mundo


"Em terceiro lugar se reconhece o povo de Deus ou um santo povo cristão no Sacramento do Altar, onde é administrado, crido e recebido corretamente de acordo com a instituição de Cristo".1 Estimados em Cristo Jesus. A terceira marca que identifica a igreja cristã é o sacramento do altar, a santa ceia. Lutero o descreve de maneira bem própria e de maneira eficaz. Analisemos o que ele quer nos dizer:
"...onde ele [sacramento do altar] é administrado..."
Deus não observa a aparência externa de seus filhos. Obviamente que é salutar que estejamos vestidos de acordo com o momento, de forma moderada, sem atrair atenção demasiada sobre nós, pois diante do altar estamos na presença de Deus, recebendo o sacramento com reverência. Também não se deve ir ao sacramento com tristeza, pois é um momento de alegria e gratidão, porém, devo ter cuidado em tratar este momento como um momento sublime, pois é valioso meio de salvação através do qual Deus santifica o seu povo, como já o faz por intermédio da palavra e do santo batismo.
"[onde o sacramento do altar é]...crido..."
Arrependimento dos pecados e fé em Jesus Cristo são elementos essenciais para se participar da santa ceia. Lutero usa uma linguagem popular da época, devido a predominância do catolicismo, para descrever que o crisma de Deus, ou seja, o batismo e sua santa palavra eram elementos e preparatórios ao sacramento do altar. No batismo, o momento em que Deus Espírito Santo implanta a fé no coração do ser humano, e na palavra que o mantém em fé e o anima a viver uma vida santificada. Crer neste caminho que Deus propõe, é fundamental na vida cristã.
[onde o sacramento do altar]"...é recebido corretamente, de acordo com a instituição de Cristo..."
Lutero faz questão de destacar que a marca no sacramento do altar, não está vinculado a pessoa que o administra. A validade do sacramento vem da palavra de Deus conforme a ordem e instituição de Jesus Cristo. A palavra, unida aos meios externos visíveis (pão e vinho) constituem o meio da graça que é a santa ceia. Lutero ainda faz recomendações a respeito de como receber o sacramento do altar. Em um de seus escritos: Exortação ao sacramento do corpo e sangue do nosso Senhor ele enfatiza: "Eis, portanto, que tem duas boas formas e razões pelas quais receber o sacramento: a primeira, de com ele agradecer e louvar a Cristo; a segunda, de buscar também para você consolo e graça."
          Queridos irmãos e irmãs. Martinho Lutero dá um testemunho de si mesmo em relação a esta importante marca da igreja que é a santa ceia. "A título de exemplo para todos aqueles que se querem deixar advertir, quero apresentar aqui minha própria experiência, para que se fique sabendo que velhaco bem ladino é o diabo. Aconteceu-me diversas vezes que me propus a ir ao Sacramento em dia determinado; ao chegar o dia, havia se desvanecida essa minha intenção, ou apareceu algum impedimento, ou me senti despreparado, de sorte que disse: "Tudo bem, daqui a oito dias eu o farei". Acontece, porém, que o oitavo dia me encontrou igualmente tão despreparado e impedido como o outro: "Tudo bem, maus uma vez dentro de oito dias eu o farei". Foram tantas vezes esses oito dias que eu praticamente acabava não indo mais ao Sacramento. Quando, porém, Deus me concedeu a graça de perceber a artimanha do diabo, eu disse: "Queres ver, satanás? Vai tomar banho, com o teu e o meu preparo!" E arremeti e fui, algumas vezes provavelmente também sem ter feito confissão (o que em geral não é o meu estilo) desafiando o diabo, em particular, porque não tinha consciência de qualquer pecado de vulto. Portanto me dei conta do seguinte em mim mesmo: Quando alguém não tem vontade nem disposição para o Sacramento. mas ainda assim se propõe seriamente a ir, esses pensamentos e essa atuação sobre si mesmo também despertam disposição e vontade suficientes, e também servem muito bem para expulsar esses pensamentos preguiçosos e indispostos que impedem e deixam a gente despreparada. Pois trata-se de um Sacramento vigoroso e rico de graça; basta pensar nele com alguma seriedade e dirigir-se para ele, que já se incende, estimula e puxa para si mais um coração. Experimenta, e se não for assim contigo, podes me chamar de mentiroso. Aposto como o diabo também te passou a perna magistralmente e como te afastou do Sacramento com astúcia, para com o tempo levar-te para longe da fé e ao esquecimento de teu querido Salvador e de toda a tua aflição."i 
          Queridos irmãos e irmãs. O sacramento do altar, marca da igreja cristã, é uma benção de Deus concedida a cada um de nós, através do qual somos mantidos, encorajados, motivados a vivermos uma vida santificada. Melhor remédio para as agruras da vida não há. Portanto, não desperdicemos este sacramento. Participemos com convicção do mesmo.
                                             Com carinho, Pastor Valdir.

O BATISMO - Segunda das Sete Marcas da Presença da Igreja no Mundo


"Em segundo lugar se reconhece tal povo de Deus ou santo povo cristão no santo Sacramento do Batismo, onde este é ensinado, crido e administrado corretamente, segundo a ordem de Cristo".1
Lutero coloca o santo batismo como a segunda marca que identifica a igreja cristã. Uma marca que nem sempre é bem compreendida ou bem assimilada pelo seu povo. Por isso, é necessário que observemos com mais carinho o que está por detrás desta marca.
"...onde este [o batismo] é ensinado..."
Pois também ele é um sinal público e um precioso meio de salvação por meio do qual o povo de Deus é santificado. Pois é um santo banho do novo nascimento pelo Espírito Santo, no qual nos banhamos e somos lavados de pecados e morte pelo Espírito Santo, como no inocente e santo sangue do Cordeiro de Deus.
É importante que de vez em quando relembremos aquilo que diz a doutrina do santo batismo. Praticá-lo como um mero ato social, é o mesmo é o mesmo que rebaixá-lo a um mero ato humano, coisa que ele não é. Eis aí o motivo pelo qual Nicodemos teve dificuldade em compreender o que o batismo representava, mesmo sendo mestre em Israel. Quando Jesus lhe falou de nascer de novo, ele rapidamente imaginou-se de forma humana, novamente no ventre de sua mãe. Também nós, pela forma corriqueira com que o batismo acontece, somos tentados a tratá-lo como um ato social, esquecendo-nos da dimensão espiritual que este sacramento traz consigo: a grande verdade de que somos lavados do pedado e morte com o sangue do Cordeiro de Deus! O próprio Lutero declara: "Não se duvidará pois, que o batismo é coisa divina, que não pensada e inventada por homens. Pois assim como posso dizer que nenhum homem criou em sua cabeça os Dez Mandamentos, o Credo e o Pai Nosso, que, ao contrário, o próprio Deus revelou e deu, da mesma forma também posso exaltar o fato de que o batismo não é brincadeira de homens, senão que é instituído pelo próprio Deus".(O.S. Vol 7. P.420)
"[onde o batismo é]...crido..."
Onde observas este sinal, podes ter a certeza de que aí tem que estar a Igreja ou o santo povo cristão, ainda que o papa não te batize e que nada saibas de sua santidade e poder, como também as crianças de nada sabem; somente que, quando adultos, infelizmente são alijados de seu Batismo, como lamenta S.Pedro em 2º Pedro 2.18: "Engodam com paixões carnais os que recém haviam escapado e que agora vivem no erro."
Não basta presenciar o batismo, vê-lo acontecer. É necessário crer nele com convicção. Esta era a grande dificuldade de Nicodemos no seu diálogo com o Salvador naquele momento. Nicodemos não cria no renascimento pela água e pelo espírito. Jesus é enfático em destacar esta verdade ao dizer: "Se, tratando de coisas terrenas, não me credes, se vos falar das celestiais?" (Jo 3.12) A fé não é um ato humano, mas ação divina!
[onde o batismo é]"...e administrado corretamente, segundo a ordem de Cristo..."
Sim, também não deves ter dúvida a respeito de quem é que batiza. Pois o Batismo não pertence ao que o administra, nem é dado a ele, mas pertence ao batizando, para quem foi instituído e dado por Deus, "assim como também a palavra de Deus não é do pregador (a não ser que ele queira ouvir e crer), mas do discípulo que a ouve e crê; a este é que ela foi dada".
O batismo não é propriedade humana! É interessante que certos hábitos e atitudes acabam por transmitir a falsa imagem de que o batismo está sob jurisdição de homens. Um belo exemplo disso é o famoso "batismo em casa". Um hábito que originou-se quando padres ou pastores não conseguiam atender a todas as famílias de sua região por um problema de locomoção em tempos passados. Então as famílias passaram a praticar o batismo de emergência e infelizmente acabaram por seguirem realizando este batismo em casa e depois repetindo o mesmo na igreja, contrariando a palavra bíblica de Efésios 4.5 de que "...há um só Senhor, uma só fé, um só batismo"; É bom lembrar que a eficácia do batismo não depende daquele que batiza, ela se encontra em Deus, em sua graça estendida àquele que é alvo deste sacramento.
Queridos irmãos e irmãs. Martinho Lutero, em momentos de tribulação, tentações, sofrimento, encontrava consolo e ânimo em seu Batismo. A frase escrita em sua escrivaninha "Baptizus sum" lembrava-o constantemente desse ato gracioso de Deus!

A PALAVRA - Primeira das Sete Marcas da Presença da Igreja no Mundo

         
A Igreja Cristã - a comunhão dos santos - é invisível porque só Deus sabe quem é cristão e membro dessa única, santa igreja cristã.
          Martinho Lutero lista sete marcas da presença da Igreja no mundo. A primeira delas é a Palavra de Deus anunciada oralmente, crida sinceramente, praticada e testemunhada publicamente. Seguem abaixo alguns parágrafos do que ele mesmo nos diz:
          "Em primeiro lugar se reconhece este santo povo cristão quando possui a santa palavra de Deus, se bem que aí há diferenças, como diz S.Paulo: alguns a tem totalmente pura, outros não. Aqueles que a tem pura são os que edificam ouro, prata, pedras preciosas sobre este fundamento; os que a tem com impurezas, são aqueles que edificam feno, palha, madeira sobre este fundamento, mas que se salvam por meio do fogo."
          "Estamos nos referindo à palavra externa, pregada oralmente por pessoas como tu e eu. Pois a esta Cristo deixou como sinal externo no qual se pudesse reconhecer a sua Igreja ou seu santo povo cristão no mundo."
          "Também falamos desta palavra oral quando é crida sinceramente e confessada publicamente perante o mundo, como diz ele: "Quem me confessa a mim perante as pessoas, a esse eu quero confessar perante o meu Pai (Mt 10.32) e os seus anjos."
          "Onde, pois, ouves tal Palavra, e vês que é pregada, crida, confessada e cumprida, aí não tenhas dúvida que com certeza aí está uma verdadeira, santa Igreja católica, um santo povo cristão, ainda que seu número seja muito pequeno, pois a palavra de Deus não fica sem fruto (Is 55.11), mas ocupará no mínimo um quarto do solo. E mesmo que não houvesse outro sinal além desse, ele bastaria para provar que ali existe um Santo povo cristão. Pois a palavra de Deus não pode existir sem o povo de Deus; por outro lado, o povo de Deus não pode existir sem a palavra de Deus. Do contrário, quem a pregaria ou quem ouviria a pregação se não existisse o povo de Deus? E que poderia ou quereria crer o povo de Deus se não existisse  a palavra de Deus?"
          "Este é o artigo que faz todos os milagres, a tudo consegue, a tudo conserva, a tudo efetua, tudo faz, expulsa todos os diabos, como por exemplo os demônios das peregrinações, das indulgências, das bulas, das confrarias, dos santos, das missas, do purgatório, dos conventos, dos sacerdotes, das seitas, das rebeliões, das heresias, todos os demônios do papa, inclusive dos antinomianos."
          "Basta que saibamos como o artigo principal, o santo dos santos, varre, conserva, sustenta, fortalece e protege a Igreja, como também diz Sto Agostinho: 'a Igreja é gerada, sustentada, nutrida e fortalecida pela palavra de Deus.' Mas os que a (sc.a palavra) perseguem e condenam se identificam a si mesmos pelos seus próprios frutos."
                              (Martinho Lutero, Obras Selecionadas. Vol 3, Pags 409-411)

43º Congresso Distrital de Jovens

Neste Final de semana, dias 28 e 29 de junho, nossa Congregação sediou o 43º Congresso Distriral de Jovens do Distrito Hortensias.

Dentre as atividades do Congresso, mencionamos a noite cultural composta de apresentações teatrais, de peças cômicas e peças sacras. Nossa JULUCA participou, ficando classificada em segundo lugar em ambas as categorias. Como melhor ator, foi premiado o jovem Mateus dos Santos Hehn, integrante da nossa JULUCA.

Para assistir as peças, basta clicar nos links abaixo.

Parte 1 - Peça Sacra Juluca

Parte 2 - Peça Sacra Juluca

Parte 3 - Peça Sacra Juluca

Parte 4 - Final - Peça Sacra Juluca

Peça Cômica Juluca