"Mas agradeçamos a Deus, que nos dá a vitória por meio do nosso Senhor Jesus Cristo. I Co 15.57"

O TRABALHO DIGNIFICA O HOMEM



“O trabalho dignifica o homem!” Certamente você já deve ter ouvido esta frase, não é? Será que ela é realmente verdadeira? Ora, para examinarmos esta frase, é necessário primeiro lembrar primeiramente do Trabalhador dos trabalhadores: Deus! Sim, Deus trabalhou e ainda trabalha em favor da humanidade. Seu primeiro trabalho foi a obra da criação: “No princípio criou Deus os céus e a terra.” (Gn 1.1) O primeiro versículo da Bíblia já mostra a importância que Deus dá ao trabalho, Ele mesmo trabalhou primeiro, e fez mais do que isso, após trabalhar para realizar sua obra de criação, também trabalhou para que a obra da redenção fosse levada a cabo através de Jesus Cristo, “Porque Deus amou ao mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo o que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna.” (Jo 3.16). Seu trabalho também segue sendo realizado através da obra do Espírito Santo, como descreve o apóstolo Paulo: “Não sabeis que sois santuário de Deus e que o Espírito de Deus habita em vós?” (1Co 3.16). Deus não se satisfez em trabalhar, mas também confiou esta ação tão digna ao ser humano. Após criá-lo, “Tomou, pois, o Senhor Deus ao homem e o colocou n o jardim do Éden para o cultivar e o guardar.” (Gn 2.15) Deus sabia que o trabalho seria uma atividade extremamente saudável para o ser humano, e por isso confiou a ele a administração do que havia criado. E é bom lembrarmos, que o trabalho surgiu antes da queda do ser humano em pecado! Que bom que Deus além de criar o trabalho, apesar do pecado, nos confiou a responsabilidade de realizá-lo. Neste dia 1º de maio, somos convidados a agradecer àquele que trabalhou primeiro. Agradecer pelo trabalho que realizou, realiza e realizará em nosso favor. Agradecer, porque nos dá condições de trabalharmos e com isso, obtermos o pão de cada dia. Sem dúvida alguma, ao lembrarmos do que Deus fez, faz e fará, seguramente concordaremos que o “trabalho dignifica o homem”! Que o Senhor abençoe a todos os trabalhadores de nossa nação! Amém.
Com carinho, pastor Valdir.

DOMINGO DA HORA LUTERANA



Como todos podem perceber, em nosso calendário, lembramos neste final de semana, o “Domingo da Hora Luterana”. Trata-se de um culto, onde lembramos em oração, de agradecer a Deus, e pedir a Ele que siga mantendo esta organização tão importante em nosso país. Você sabe como surgiu a “Hora Luterana”? Esta sociedade missionária é uma organização auxiliar da Igreja Evangélica Luterana do Brasil (IELB) que atua no Brasil desde o dia 6/04/1947, data de sua fundação. O grande objetivo da Hora Luterana é utilizar todos os meios de comunicação para apresentar a mensagem da salvação em Cristo às pessoas que ainda não creem nele como o seu Salvador pessoal, e estimular essas pessoas a conhecer e participar das atividades de uma igreja luterana ou cristã. Para tanto, procura divulgar a Palavra de Deus através de programas de rádio, literatura cristã de aconselhamento, Internet e mídias sociais, treinamentos evangelísticos, motivação para o evangelismo pessoal, CDs de mensagens e DVDs com histórias infantis, mensagens por telefone e via SMS para celulares. Desde sua origem a Hora Luterana é mantida por donativos de cristãos de todas as partes do mundo e pela “Lutheran Hour Ministries”.
Lembrando as palavras de Jesus em Mateus 28.19: “Ide, fazei discípulos de todas as nações...” a Hora Luterana procura cumprir com a tarefa de anunciar a salvação em Jesus Cristo no território brasileiro. Porém, para que este trabalho continue, é necessário que muitos se empenhem para tanto.
Você, querido irmão, querida irmã, poderá notar que na entrada de nossa igreja, além dos folhetos evangelísticos, temos uma pequena estante giratória que está repleta de livretos com diversos temas. Este material, junto com os folhetos são gratuitos e devem ser levados por todos vocês para si mesmos, ou para entregar para amigos e familiares. Existe também naquela estante, uma pequena urna onde arrecadamos valores para serem destinados à Hora Luterana, afim de que possa seguir levando a palavra de Deus nos mais diversos meios.
Assim, você também pode participar como cristão, individualmente. Através de uma conversa oportuna com aqueles que estão com o olhar perdido e estão necessitados de Cristo. Entregando algum livreto evangelístico da Hora Luterana, de acordo com a situação que aquela pessoa está passando. Compartilhando em sua rede social as diversas mensagens que a Hora Luterana produz e que conduz ao amor de Jesus. Realizando suas ofertas especiais para que o trabalho da Hora Luterana continue e cresça ainda mais.
Que o Senhor abençoe ricamente o trabalho da Hora Luterana, afim de que sua salvação possa ser comunicada a todos os brasileiros. Amém.
Com carinho, Pastor Valdir. 


ENCONTRO DE CAPACITAÇÃO DA IELB EM DOIS IRMÃOS II
Como comentamos no boletim do último final de semana, no domingo, dia 3 de abril, aconteceu um encontro de Capacitação de nossa Ielb na cidade de Dois Irmãos. Cerca de 250 pessoas de distritos diferentes participaram deste encontro. Lá também estiveram representantes de nossa congregação. Trazemos aqui um breve relatório do encontro promovido pelos Departamentos de Ação Social (DAS) e de Expansão Missionária (DEM) o qual foi conduzido pelos vice-presidentes de Ação Social (Airton Schoereder) e de Expansão Missionária (Geraldo Schüler). Queremos hoje, repartir um pouco do que foi a exposição do Departamento de Expansão Missionária.
O pastor Geraldo Schüller desenvolveu o tema da Área de Expansão Missionária iniciando por uma radiografia que foi feita de nossa Ielb. Segundo a análise feita por alguém que não é luterano, nossa igreja é “tímida”. Essa timidez se traduz na maneira de ser da igreja.Para fundamentar tal conclusão lembrou dos seguintes aspectos: somos uma igreja com uma cultura fortemente germânica o que lhe rendeu a alcunha de “igreja dos alemães”. Somos também uma igreja com uma cultura fortemente congregacional, mas que é fortemente sinodal quando se trata da missão. Constatou ainda que somos uma igreja com forte ênfase expansionista, mas que tem sua origem na cultura rural. Neste sentido lembrou que para um membro luterano é mais fácil vender um cartão de almoço ou de chá, do que entregar um folheto bíblico/missionário. Ao constatar tais aspectos, conduziu o auditório a meditar sobre os seguintes aspectos:
a)Compreensão do conceito de Missão: A luz das passagens bíblicas de Mt 5.13-16 (Sal e luz para a humanidade), 2Co 2.15 (somos bom perfume de Cristo) At 2.7 e At 12.24 (Crescimento da palavra), enfatizou que nestes versículos o crescimento da igreja é sinônimo de crescimento da palavra, pois palavra e pessoa estão conectados. A partir daí passou a lembrar que somos testemunhas de Cristo. Estamos em missão. Ser testemunha de Cristo e estar em missão é um grande privilégio! Nós já somos salvos e somos convidados a ajudar a levar a Boa Nova da salvação para outras pessoas.
b)Compreensão de que a missão é de Deus: Neste sentido somos apenas convidados  a participar deste maravilhoso plano de Deus de salvar o mundo. Lembrou então a mudança no foco da missão dentro do planejamento IELB 2018, onde não queremos planejar o quanto vamos colher, mas o quanto vamos plantar.
c) Compreensão da importância da obra da missão: Citou os textos de Lc 16.19-31 (A parábola do rico e do Lázaro), Lc 15.1-7 (A ovelha perdida); Lc 15.8-10 (A parábola da moeda perdida), e Lc 15.11-31 (A parábola do Filho pródigo).
d) Compreensão de que o testemunho pode ser feito de forma simples: através do Testemunho pessoal, folhetos bíblicos, festivais missionários, comissões de evangelismo e programas que a Ielb oferece, além é claro, dos departamentos.
Neste sentido o DEM trabalha com forte ênfase na semeadura do evangelho, incentivando não somente a busca de novos membros, mas fomentando a criação de pontos de missão e o trabalho na busca de reduzir o abandono de membros.
Concluiu sua exposição lembrando que a melhor maneira de se fazer missão, é ser uma testemunha. Para se ser uma testemunha, é necessário que os filhos e filhas de Deus se abasteçam da graça, do banquete oferecido em cada culto. Ao abastecer-se do banquete, cria-se um ambiente propício, salutar para que o Senhor adicione pessoas ao grupo. Um ambiente de amor cristão, de acolhimento, cria um local adequado para que o Espírito Santo atue constantemente!
Que possamos refletir profundamente nestes conceitos, afim de que possamos viver uma consciência missionária em nossa vida individual e coletiva.
Com carinho, Pastor Valdir.


ENCONTRO DE CAPACITAÇÃO DA IELB EM DOIS IRMÃOS
No último domingo, dia 3 de abril, aconteceu um encontro de Capacitação de nossa Ielb na cidade de Dois Irmãos. Cerca de 250 pessoas de distritos diferentes participaram deste encontro. Lá também estiveram representantes de nossa congregação. Trazemos aqui um breve relatório do encontro promovido pelos Departamentos de Ação Social (DAS) e de Expansão Missionária (DEM) o qual foi conduzido pelos vice-presidentes de Ação Social (Airton Schoereder) e de Expansão Missionária (Geraldo Schüler). Queremos hoje, repartir um pouco do que foi a exposição do Departamento de Ação Social.
O pastor Airton Schoereder desenvolveu o tema da Ação Social, destacando conceitos como diaconia, misericórdia, assistência social e serviço social. A partir daí passou a tratar o tema: a Bíblia, igreja e cidadania. Onde lembrou, ao tratar da Bíblia, da criação perfeita que Deus fez e das responsabilidades que deu ao ser humano de cuidar desta criação afim de cultivá-la e obter sustento e qualidade de vida (Gn 2.15). A seguir, lembrou o fato de que a queda em pecado resultou na fadiga e disputa pela sobrevivência que acabou levando o ser humano a um individualismo exagerado (Gn 3.17). Ao explorar o tema igreja, lembrou da importância desta viver a igualdade divina, procurando viver o amor ao próximo (Gl 5.14) tanto no possuir as coisas (Lc 19.17), como no partilhar das mesmas entre os filhos de Deus (At 2.45). Esta linha o mundo pecador não compreende, pois é a loucura do evangelho! Ao tratar o tema cidadania, lembrou que hoje existe um desequilíbrio no viver esta questão tendo em vista que os direitos e deveres nem sempre tem sido contemplados e que se deve buscar a cidadania por justiça, não por piedade, pois Deus dá direitos iguais a todos os seus filhos. A igreja deveria ser também a voz dos desamparados (Pv 31.8,9) na medida em que estes não tem voz nem vez. Neste sentido, convém lutar por uma consciência social onde se faz e promove o bem não por desencargo de consciência e sim porque é direito do ser humano ser valorizado pelo ser, e não pelo ter, pois isso traduz o cuidado com a casa que Deus nos deu, nosso corpo. Ao falar da ação social como estilo de vida, o pastor Airton lembrou Jesus ao ser questionado: “SENHOR, quando foi que  o vimos com fome e lhe demos comida, com sede e lhe demos água? Quando foi que o vimos como estrangeiro e o recebemos em nossa casa ou sem roupa e o vestimos?” (Mt 25.38) Jesus Respondeu: “Quando vocês fizeram a um destes  mais humildes dos meus irmãos, foi a mim que fizeram”. (Mt 25.40)
Concluiu sua exposição desafiando a cada um dos presentes a se engajarem vivendo a ação social em sua vida, no dia-a-dia e não somente dentro de um departamento específico, o que também é importante, afinal de contas: “ação social é vitória sobre o egoísmo, o individualismo, o preconceito e a indiferença com a desigualdade”.
Que possamos refletir profundamente nestes conceitos, afim de que possamos viver uma consciência social em nossa vida individual e coletiva.
Com carinho, Pastor Valdir.


A ÁRVORE DE PÁSCOA

Você já deve ter notado na parte da frente de nosso templo, entre o púlpito de pregação e o órgão uma árvore diferente, não é? Pois trata-se da “Árvore de Páscoa”, ou “Osterbaum” na língua alemã. Embora não muito conhecida por aqui, ela é uma tradição muito bonita que veio junto com a imigração alemã em tempos passados. Conheçamos um pouco o significado dela:
- A árvore com seus galhos secos, nos faz lembrar de Mateus 27.59-60= “E José, tomando o corpo (de Jesus), envolveu-o num pano limpo de linho e o depositou no seu túmulo novo, que fizera abrir na rocha; e, rolando uma grande pedra para a entrada do sepulcro, se retirou.” Em outras palavras, os galhos secos lembram a frieza e morte no sepulcro de Jesus Cristo.
- Os ovos coloridos nos lembram textos como Mateus 28.6-8= “Ele não está aqui; ressuscitou, como tinha dito. Vinde ver onde ele jazia. Ide, pois, depressa e dizei aos seus discípulos que ele ressuscitou dos mortos e vai adiante de vós para a Galiléia; ali o vereis. É como vos digo! E, retirando-se elas apressadamente do sepulcro, tomadas de medo e grande alegria, correram a anunciá-lo aos discípulos.” Em outras palavras, as cascas de ovos coloridas simbolizam a alegria que nos veio pela ressurreição do Salvador Jesus Cristo. Colocam-se ovos, porque o ovo lembra que há vida nele, dali a vida surge, apesar de estar escondida até o momento em que a casca se quebra.
Sem dúvida alguma, a Osterbaum é uma forma saudável de ilustrarmos a obra do Salvador Jesus Cristo neste tempo pascal. Aliás, é bom que lembremos que a Páscoa não está presa a um dia somente, mas ela se estende ainda por semanas, afim de lembrar, enfatizar, fixar a grande verdade descrita em João 3.16= “Porque Deus amou ao mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo o que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna.”
Lembremos que a árvore de Páscoa é apenas um símbolo, salutar no sentido de apontar para o Senhor e Salvador Jesus Cristo, que é o único que merece nosso louvor e adoração!
Aproveitemos este tempo oportuno para desfrutar da salvação que o Senhor nos concedeu, meditarmos nela e pedirmos para que o Senhor nos aumente mais e mais a fé em Jesus, colocando-nos no caminho correto que leva a salvação eterna.
Feliz tempo pascal!
Com carinho, Pastor Valdir.